6 lições que aprendi participando de uma organização de empreendedores

Lembro como se fosse ontem. Recebi uma mensagem de uma amiga sobre a vinda de uma organização global de empreendedores para cidade de São Paulo. Ela me convidava para conhecer a rede, elogiando o meu lado empreendedor e enaltecendo que estavam buscando futuros membros com o meu perfil.

Era uma noite fria de inverno e eu fui buscar mais informações sobre a tal rede que viria para terras brasileiras. Uma das primeiras matérias que encontrei me marcou bastante. Usei o quote que li naquela noite no site da Forbes americana em várias palestras apresentando a Entreprepeneurs’ Organization (EO) no Brasil e em outros países.

Quando a Forbes americana menciona a EO como a caixa de ferramentas definitiva para empreendedores (em tradução livre) eu não tive dúvidas de que esta estrada poderia me levar por uma jornada de descobrimentos e aventuras. Na minha cabeça eu criei uma analogia de um trem passando. Ou eu entrava para a organização naquele momento e me tornava membro fundador da rede no Brasil e seria parte importante no estabelecimento da EO no país ou então não entraria no trem e seguiria a minha vida sem maiores preocupações, como se o trem nunca estivesse passado e eu tivesse tido a oportunidade de embarcar.

Na minha vida, tenho orgulho de ter participado de alguns movimentos, programas e experiências. Fazer parte da EO certamente é um deles. Incontáveis momentos de aprendizagem e ruptura aconteceram após eu ter entrado naquele trem.

Como a EO tem como princípio aprender através da experiência vivida pelos demais membros, vou listar as 6 principais lições que aprendi em participar de uma organização de empreendedores.

Lição 1. Você não está só

A solidão é por muitas vezes uma característica do empreendedorismo. Na incansável busca por resultados, o empreendedor se vê só e mesmo com a sua empresa crescendo, é normal que a pessoa por trás se feche e não compartilhe as suas principais angústias, medos e sofrimentos.

Ao longo do tempo, eu percebi que participando de um grupo de empreendedores eu não me sentia só e conseguia compartilhar as coisas que mais estavam me afetando no dia a dia. Incontáveis vezes eu levei problemas pessoais e profissionais para os outros membros, abrindo questões bastante particulares da minha vida sem ter medo de ser julgado. O valor de poder contar com uma rede para me fortalecer nos momentos que eu mais precisei foi sem dúvida, precioso.

Cobertura em jornal de Recife de evento promovido com empreendedores locais

Lição 2. Nada é mais valioso do que a troca de experiências entre membros

Geralmente falamos com amigos e família sobre as coisas mais superficiais que estão acontecendo nas nossas vidas, tanto em âmbito profissional como pessoal. Na EO fui encorajado a compartilhar com os outros membros os meus 5%. Aqueles sentimentos e desafios que estão nos limites, que eu não costumava compartilhar com ninguém e guardava a 7 chaves dentro de mim.

Um processo que no início parecia difícil de expor e me sentir confortável em compartilhar informações tão delicadas, com o passar do tempo se tornou algo muito óbvio. Que maravilha poder contar com um processo em que há sigilo por parte dos demais e que eu possa colocar para fora tudo o que está me assombrando sem julgamentos. Dentre assuntos que eu já compartilhei houve problemas com sócios, novas oportunidades de negócios, demissão de funcionários, mudança de vida, gravidez e muitas outras questões-chave para mim e para o futuro.

Aprendi que os outros empreendedores passaram ou estão passando por experiências muito similares as que eu passei. Será que escutar as experiências deles não iria me ajudar a ter uma nova perspectiva?

Aprendi a valorizar a troca de experiências como um momento único. Aprendi a utilizar a escuta ativa para tornar esse momento ainda mais especial, gerando mais aprendizados a cada oportunidade.

Membros da EO São Paulo com Ozires Silva (co-fundador Embraer e ex-ministro)

Lição 3. Se você sonha em viajar o mundo fazendo negócios e ter uma atuação internacional, associe-se a uma organização que seja global

Para mim, fazer parte da EO sempre significou ter a possibilidade de me conectar com empreendedores de todo o mundo e aprender através dessas experiências. Ao longo desses 4 anos, eu tive a oportunidade de representar o capítulo de São Paulo em viagens para lugares como Tailândia, Grécia, Dubai, Porto Rico, Holanda, Estados Unidos, Hong Kong, Peru, dentre outros. Em todas essas oportunidades, eu sempre fiz questão de conhecer os membros da EO de outros países. Na minha visão, essa é uma das riquezas que uma organização global de empreendedores pode te conceder. Ficamos com uma visão de mundo mais ampla através desse aprendizado constante e multicultural. Voltei sempre ao Brasil com uma perspectiva diferente. Uma maneira diferente de ver os negócios e, sobretudo, a vida.

Empreendedores da Índia, por exemplo, possuem uma visão de mundo muito diferente da nossa. O aprendizado que uma conversa pode gerar entre pessoas com visões de mundo tão distantes é precioso.

Call com 12 países diferentes do Comitê Global de Comunicação da EO

Lição 4. Vá além da sua empresa, fortaleça a si mesmo

Essa jornada como membro da EO me levou a um caminho de desenvolvimento pessoal que eu não poderia imaginar. Além de ter estado presente em praticamente todos os eventos realizados neste período (creio que já estive em uns 70) e ter acesso a conhecimentos das mais diversas áreas, desde ciência do sono até sobre empreender um restaurante (papo muito rico com o Alex Atala em seu restaurante), conviver com outros empreendedores me trouxe uma riqueza sem tamanho.

Entendi que eu não estava só e que o poder da troca de experiências era vital para o meu desenvolvimento como pessoa, acima de tudo. Eu queria me tornar um homem melhor, um cidadão melhor e um pai melhor.

Lição 5. Busque se associar em uma organização que tenha valores similares aos seus

Uma das primeiras questões que eu analisei ao conhecer a Entrepreneurs’ Organization foi que a organização tinha valores muito claros, e acima de tudo, deixava nítido que buscava membros que compartilhassem dos mesmos valores. Diversas vezes ouvi de líderes globais da EO que buscar empreendedores que não compartilhassem dos mesmos valores tidos pela organização seria um desperdício de tempo e dinheiro para ambos. Para mim, isso fez muito sentido.

A EO tem 5 valores muito bem definidos. Acho que essa minha história de amor com a organização se dá também pelo fato de eu compartilhar intensamente todos eles.

Confiança e respeito; Sede por aprendizado; Ir com tudo, Ser ousado; Criar um legado; Descolado.

Com o passar do tempo e a experiência crescendo, o empreendedor acaba inevitavelmente consolidando esses 5 valores em seu DNA e isso é poderoso.

Lição 6. Liderar líderes

Um dos momentos mais desafiadores que eu me deparei ao longo dessa jornada foi me tornar presidente da organização. Eu, com apenas 33 anos de idade, iria ser o representante do board de diretores para liderar a organização na cidade de São Paulo e por ajudar a EO a se tornar referência em empreendedorismo no país.

Na minha visão, liderar líderes é uma das tarefas mais complexas e sensíveis dentro de um processo de gestão. Não basta conhecimentos específicos e técnicos mas sim a sensibilidade na condução do dia a dia. Muitas pessoas brilhantes juntas que estão acostumadas a serem presidentes em suas empresas, ali, precisavam colaborar e trabalhar em equipe.

Acredito que o principal aprendizado que eu tirei deste ano como presidente foi que não há nada que eu não possa fazer. Missão dada é missão cumprida e que, com esforço e dedicação, eu posso realizar os meus sonhos mais distantes.

Algumas palavras no evento de posse como presidente da EO São Paulo 2016/2017

* * *

Agradeço por ter embarcado naquele trem no inverno há 4 anos. A jornada até aqui tem sido de muitas aventuras, aprendizados e momentos únicos. Muitos novos amigos que levarei para muitos e muitos anos.

Não sei ao certo o que o futuro vai apresentar. Minha certeza está na bagagem conquistada ao longo desse caminho empreendedor e no valor das experiências vividas.

Por Felipe Ramos, co-fundador e diretor de negócios do Portal Papo de Homem e diretor de aprendizagem na Entrepreneurs’ Organization São Paulo

Diretor de Aprendizagem

Conteúdo relacionado

document.addEventListener('wpcf7mailsent', function( event ) { location = 'https://ceodofuturo.org.br/obrigado/'; }, false );