Minha jornada na Turma 29 do Academia de Talentos – Desperte Seu Líder Interior

Mais um sábado havia chegado e enfim as atividades do Ceo do Futuro voltaram após um fim de semana de ICF Talk Show e um feriado. E esse sábado começou cedo para mim. Meu grupo, “Inconformados e Formados” resolveu levar o tradicional e querido coffee break, sendo que eu deveria levar pães de queijo. Mas por que comecei meu encontro falando de coffee?


Por que acordei mais cedo que o normal para fazer os pães de queijo (entendam que abrir o pacote industrializado e aquecer os pães ao forno significa fazer para mim!) e jamais imaginei o que estava por vir naquele dia.


Neste dia, o palestrante Caê Nóbrega nos contou suas experiências e nos propôs a pensar como líderes através da apresentação cujo título era: “Desperte seu líder interior”. Seu objetivo foi fazer com que nós utilizássemos os nossos 5% consciente para pensar e planejar o passo a passo (os outros 95% são inconscientes, sem planejamento).


Desde o começo a palestra foi tocante, pois muito do que o Caê dizia era um reflexo da minha vida pessoal e do momento ao qual estou passando. Ele nos mostrou que não devemos nos prender ao passado e a modelos que um dia deram certos. O mundo muda. E o passado fica obsoleto. Já o futuro não existe, mas mesmo assim tentamos controlá-lo, quando na verdade deveríamos focar em construí-lo. Em suma, nos deixou claro que devemos viver o Hoje, sem ser egocêntricos e sem colocar nossas referências no outro.


Contudo, o ponto mais interessante estava por vir. Lembra de quando comecei o texto falando que acordei cedo? Então, o que aconteceu a seguir foi o inimaginável para mim. O palestrante me olhou nos olhos e disse: “Se venda para mim. Por que eu deveria te contratar?”. Primeiramente, pensei que me daria bem, pois achava que já tinha esse discurso pronto. Mas conforme eu falava, as expressões dele se mantinham intactas. Achei que estava fazendo algo errado. Comecei a perder a confiança por causa de um olhar, como pode isso?


Em seguida, ele fez com que eu levantasse, fosse até a porta e me pediu para me auto-avaliar. Foi quando falei que poderia ter ido melhor e comecei a apontar apenas os erros. Entretanto, você que está lendo, volte no parágrafo anterior e procure a opinião do Caê…………………… Achou? Não? Talvez porque ele não tenha dado. Claro! Ele não deu a opinião de nada, ele não disse NADA! Mostrou-nos como adoramos nos boicotar, nos autodestruir.


Com isso, pude perceber que nós somos os nossos próprios problemas. Parece até um trava-língua isso não é? Com certeza isso trava a gente nos momentos mais importantes. Ainda de pé, tive a minha personalidade revelada com um simples olhar profundo do Caê (Medo!). Organizado, respeitoso… Como ele viu isso tudo? O cara é bom mesmo!


Ao final da minha ilustre participação, eu, agora de pé e na frente de toda a sala (juro que tentei ignorar este último fato, mas é complicado!) tive que me vender novamente, sob o olhar do Caê de novo. Comecei mal. Até que ele falou para que falasse com mais confiança e com uma postura diferente, menos curvado. Senti-me bem melhor. Várias pessoas durante o coffee me falaram como eu melhorei nessa hora. Foi incrível passar por este tipo de experiência. E quando acontece sem que percebamos, é quando nós crescemos mais ainda, pois temos que nos adaptar ao momento, à situação. A vida é assim.


Para finalizar, um fato totalmente relevante deve ser considerado: o coffee estava muito bom! Também, depois de acordar mais cedo que o normal, passar pela experiência de se vender na frente de todos, nada melhor que um ótimo coffee para dar aquela relaxada e se sentir satisfeito por ter vivido tudo isso, e quem sabe, despertado o líder dentro de mim!

Por Rodrigo Oliveira Telini, Engenheiro Mecânico e ICFer da Turma 29.

Conteúdo relacionado

Type your Comment

document.addEventListener('wpcf7mailsent', function( event ) { location = 'https://ceodofuturo.org.br/obrigado/'; }, false );