Minha jornada na Turma 29 do Academia de Talentos – Processo Seletivo e 1ª Encontro

Como posso descrever minhas primeiras impressões do meu início na Turma 29 do Academia de Talentos? ICFer, jamais achava que um dia seria conhecido dessa forma. Acredito que seja ideal começar do começo. Do processo seletivo. Há um ano tomei conhecimento deste trabalho através de um email de divulgação e pensei: “Hum, que oportunidade interessante!”. Não tinha disponibilidade de horário naquele tempo. Mas tudo tem o seu tempo certo.


Neste ano, agora disponível, decidi ir à luta. Cheguei e já me deparei com uma explicação sobre o Instituto que mostrou que este poderia ser o momento ideal para a minha entrada nele. A identificação foi imediata. O Resultado, conseqüência. Passei no processo seletivo. Passei em um processo seletivo depois de muito tempo, até que enfim! Senti-me com o dever cumprido e com a alma lavada.


Mas e agora? O que esperar do curso? A motivação é o carro chefe para participar de algo que faz você quebrar dedicar o seu tempo livre para um propósito. PROPÓSITO. Essa é a palavra-chave disso tudo, aquilo que faz com que nós tenhamos gás para continuar lutando e tentando. Era isso o que me movia na faculdade, em meus projetos extracurriculares, em minhas obrigações curriculares. Sabia aonde queria chegar, e agora havia conseguido ir para um lugar em que pudesse voltar a me dedicar a um fim comum.


Primeiro dia de curso, sábado gelado de agosto, indecisão para escolher até a roupa. Sim, isso costuma ser um bom sinal. Comi algo (Acreditem, não tomo café!) e fui para a Paulista. Ao chegar e me acomodar, enfim, estava se iniciando um novo ciclo, um novo processo em minha vida. Com uma acalentadora salva de palmas se iniciou a Turma 29.


O grande ponto de motivação de nosso primeiro encontro foi a palestra do atual CEO do ICF, Robson Del Fiol, uma pessoa que aproveitou as oportunidades, não desistiu, passou por dificuldades, lutou pelo seu futuro e o conquistou. Hoje é a sua realidade, é uma pessoa respeitada e que continua se dedicando em ajudar aos outros. Não se esqueceu de como chegou onde está. Não se esqueceu de seu passado. Pelo contrário, o compartilhou com uma sala de 60 ou 70 ICFers. Com certeza inspirou muita gente naquele dia. Fez valer a pena o vento gelado na cara pela manhã. O vento me acordou no dia. Já a palestra foi para me acordar para encontrar e trabalhar no PROPÓSITO. Sim, ele de novo. Sem ele não temos como ir para frente.

Em suma, o primeiro encontro foi além das expectativas. Iniciou com uma palestra extremamente empolgante, uma boa receptividade por parte dos meus colegas de turma e também dos voluntários e a certeza de que estou trilhando o caminho certo nos meus sábados pela manhã.

Por Rodrigo Oliveira Telini, Engenheiro Mecânico e ICFer da Turma 29.

Conteúdo relacionado

Type your Comment

document.addEventListener('wpcf7mailsent', function( event ) { location = 'https://ceodofuturo.org.br/obrigado/'; }, false );